Homenageando o passado e o presente

O jornal “Casa da Gente”, no suplemento “Clubes” informa, em sua edição de fevereiro deste ano, que o Clube de Regatas Icaraí será o tema do enredo do “Fora de Casa”. O motivo, segundo o jornal, é homenagear o clube centenário e mostrar o que já realizou e está realizando.

foradecasaDe acordo com a matéria, “a direção e os componentes do “Fora de Casa” correm contra o tempo para o desfile que farão na Rua da Conceição, onde haverá apresentações das escolas de Samba e Blocos carnavalescos em Niterói. “Queremos e vamos mostrar tudo que foi e vem sendo realizado no centenário Clube de Regatas Icaraí, nosso grande Enredo”, afirma o presidente Jorginho do Bairro, dirigente máximo daquela entidade do samba.

Enquanto isso, um grupo de diretores e associados do Regatas Icaraí, liderados por Adir dos Santos e Alfeu Cavararo, presidente e vice do tradicional Clube, mobilizam-se para o Clube fazer bonito durante a passagem pela passarela do samba, em Niterói, comentam todos.

Esquentando os Tamborins

No Regatas, sediado na Avenida Jornalista Alberto Torres, Praia de Icaraí, os frequentadores, inclusive dezenas de pessoas que almoçam diariamente no restaurante que funciona no tradicional Clube, esquentam os tamborins com a passagem da Banda do Ingá, na frente da agremiação.

Alfeu Cavararo, entusiasmado pelo Regatas ter sido escolhido como enredo do “ Fora de Casa”, lembra o samba é bonito. “Espero que a comunidade da agremiação que nos homenageia, cante com muita desenvoltura”, afirma.

A visita do astronauta Yuri Gagarim, as muitas competições e os grandes eventos sociais realizados no Icaraí, serão mostrados pelo samba e adereços.

(Fonte: jornalcasadagente.blogspot.com.br, sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017)

 

Anúncios

Carnaval de antigamente (mas nem tanto…)

997fe934f78652dd7fad76a92568832d
Escolas com mais títulos no Carnaval de Niterói. Fonte: Wikipedia.

Em busca de material sobre carnavais antigos em Niterói – já que estamos no início da temporada de 2017 -, surgiu uma reportagem de novembro de 2014 muito interessante sobre um dos fotógrafos mais conhecidos da nossa cidade – e que também é associado honorário do Rotary Niterói Icaraí -, o jornalista e fotógrafo Carlos Ruas, que soube retratar e fazer registros, como poucos, de pessoas e eventos, que são uma verdadeira preciosidade. A matéria diz o seguinte:

bguedes-cruas-2014
O jornalista e fotógrafo Carlos Ruas. Foto: Bia Guedes / O Globo

“Admirar moças bem apessoadas na Praia de Icaraí com o renomado — e ao mesmo tempo comportado — maiô Catalina; aproveitar o balanço de um passeio de bonde de São Francisco a Neves; assistir a concursos de rainha do verão; participar de bailes de máscaras nos clubes Central, Regatas de Icaraí e Canto do Rio ou, já no carnaval, admirar o desfile das agremiações no sambódromo da cidade, com bolachão de vinil e encarte debaixo do braço. Esses eram apenas alguns hábitos dos niteroienses nas décadas de 1940 a 1970 registrados pelas lentes do jornalista Carlos Ruas, hoje com 87 anos.

Ruas é o guardião de um arquivo com mais de três mil imagens da cidade e também de uma memória surpreendente sobre acontecimentos que transformaram Niterói para sempre.

[…]

SAUDADES DO SAMBÓDROMO NITEROIENSE

Dono de uma coleção de 25 câmeras que usou desde 1945, Ruas se debruça sobre imagens captadas durante dezenas de carnavais que aconteceram no extinto sambódromo da cidade:

— Tem gente que não acredita que Niterói já teve sambódromo. E o carnaval da cidade já foi considerado o segundo melhor do país pelo escritor Jorge Amado. Nessa época, o Rio fazia carnaval de rua com desfile de carros conversíveis na Avenida Rio Branco. Já em Niterói, tínhamos até discos com os sambas e folhetos com ficha técnica sobre o carnaval. Foi uma pena terem acabado com o espaço para dar lugar a uma vila olímpica (onde hoje é o Caminho Niemeyer).

Uma passada de olhos rápida no arquivo de Ruas revela um olhar atento às mulheres niteroienses, seja voltado para belas banhistas desconhecidas que aproveitavam domingos ensolarados na Praia de Icaraí ou às integrantes da alta sociedade, que participavam de concursos de miss ou dos bailes de máscaras. As atrações em clubes da região eram consideradas as maiores da época. Na ocasião, espaços como Central, Regatas de Icaraí e Canto do Rio organizavam concursos de beleza, que agitavam a cidade o ano inteiro.

cruas-rainhaprimav-dec1940
Ao centro Mariza Monteiro, rainha da Primavera, ladeada pelas princesas Ludmila Popov (esquerda) e Mariza Andrade (direita). Clube Central. Foto: Carlos Ruas. Acervo: LABHOI-UFF.

— Eram muitas moças bem apessoadas que participavam. E, nos bailes de máscaras, saíam os maiores casamentos — recorda ele, que nasceu na Lapa, mas escolheu Niterói para viver aos 25 anos.” […]

(Fonte: O Globo, internet)

 

 

Gavião Peixoto

gavpeixBernardo Avelino Gavião Peixoto foi o 33º presidente da Província do Rio de Janeiro. Nasceu em São Paulo, em 1829, filho de Bernardo José Pinto Gavião Peixoto e Ana Policena de Andrade e Vasconcelos, e faleceu em Santos, em 1912.

Bacharel pela Academia de São Paulo, em 1849, dedicou-se à magistratura em sua província que viria a representar na Câmara dos Deputados em três legislaturas. Presidiu a província do Rio de Janeiro de 1882 a 1883, nomeado por carta imperial de 18 de fevereiro de 1882.

Gavião Peixoto foi um dos primeiros a idealizar uma ligação entre Rio e Niterói por meio de uma ponte, sonho que viria a ser realizado somente na década de 1970.

000002Durante a sua gestão efetivou o aterro do Campo de São Bento, imenso lodaçal infestado de mosquitos. Reformou, também, o Jardim do Ingá, atual Praça César Tinoco.

Ficou conhecida sua “Exposição” com que passou a administração ao seu sucessor, Comendador Domingos Theodoro de Azevedo Júnior, em 28 de outubro de 1983, em que relata nas 42 páginas da publicação as melhorias que efetivou nos 19 meses de mandato.

A rua que hoje leva o nome de Gavião Peixoto – a antiga Rua do Sousa – foi implantada em meados do século XIX durante a execução do Plano de Arruamento (1840-41).

Desde o início da existência desse logradouro concentrou-se ali boa parte do comércio do bairro.

No século XVII situava-se naquela área, próximo às atuais ruas Mariz e Barros, Moreira César e Otávio Carneiro a antiga ermida de São João Batista de Icaraí (icaraí = água santa).

Atualmente a Rua Gavião Peixoto abriga, entre outras importantes instituições, a sede do arcebispado – Mitra Arquidiocesana, a Igreja Anglicana e se caracteriza pelo grande movimento de pessoas que se beneficiam do comércio bastante expressivo, por oferecer os mais variados produtos e serviços à população.

(Publicado no boletim semanal do Rotary Club de Niterói Icaraí, de 17/4/1996, e atualizado em novembro/2016)

 

 

“Palacete Hermann Bekenn”

Hermann Bekenn era alemão, chegado ao Brasil em fins do Século XIX. [Mais tarde buscou nacionalidade brasileira, mas teve seu processo indeferido em tempos de pouca simpatia aos cidadãos germânicos, devido à segunda grande guerra]. Iniciou a vida como Guarda-livros depois Negociante de Açúcar, chegando ao seu ápice como Industrial na Companhia Fábrica de Tecidos Dona Isabel (Petrópolis).

Com muitos endereços declarados, era o Palacete da Praia de Icarahy, número 407, o mais nobre e destacado, onde, a partir das núpcias com a Srta. Antonietta de Andrade, de influente família tradicional do Distrito Federal [Rio de Janeiro], fixou residência e instalou a família na primeira década do século XX.

Após sua morte em 1945, a família, sob a liderança do primogênito Maurício Bekenn, arrenda o imóvel para a instalação de um estabelecimento de pensão, mais tarde a famosa Pensão Roma, na esquina com a rua Dr. Belisário Augusto.

A tradicional pensão se manteve no imponente palacete até os primeiros anos da década de 1980 quando então foi, lamentavelmente, demolido para dar espaço ao Restaurante L´Amore, também chamado “Castelo de Icaraí” [Contudo o edifício não tinha a menor qualidade arquitetônica e passava longe da nobreza do Palacete eclético de linhas francônicas].

O restaurante, decadente, logo cederia espaço a mais um empreendimento imobiliário e o Condomínio do Edifício Palazzo Del Mare se instalaria no nobre endereço em meados dos anos 1990.

(Fonte: Olhar Nictheroy, Facebook, 25/3/2016. Acesso: 1/11/2016.)

(Texto apresentado na reunião semanal do Rotary Club de Niterói Icaraí de 8/2/2017)

*Foto de capa: a residência de Hermann Bekenn já funcionando como Pensão Roma.)

 

Galeria
(Clique sobre as fotos para ampliar. Fotos: sem autor, 1908)