Vital Brazil

Área: 0,5 km2
População: 3064 habitantes (IBGE 2000)

O bairro limita-se com São Francisco, Icaraí e Santa Rosa — sendo um prolongamento destes dois últimos. A área do Vital Brazil compreende pequena planície, cortada por pequenos rios que desembocam no rio Icaraí; e por encostas do Morro do Cavalão. A parte mais baixa era alagadiça, formando charcos, até que a canalização dos rios tornou possíveis as edificações no local.

Esta área outrora pertenceu às fazendas Santa Rosa e Cavalão, sendo que ao longo do tempo essas terras foram vendidas e parceladas, datando do final da primeira metade do séc. XX o processo de ocupação e formação do bairro.

O fato responsável pela denominação do lugar foi a transferência do Instituto Vital Brazil, que funcionava em Icaraí, para “instalações melhores” no bairro, numa grande área onde funcionara uma olaria (1919). O importante trabalho desenvolvido pelo Instituto, hoje estadualizado, sempre recebeu amplo apoio dos governos estadual e municipal. Inicialmente o Instituto limitava-se à fabricação de medicamentos para uso humano (soros antiofídicos e vacina antirrábica), mas a partir de 1931 já preparava vacina antirrábica para uso veterinário e outros produtos do gênero. Em 1943 foram inauguradas as atuais instalações do Instituto, contribuindo para a diversificação de suas atividades e reconhecimento internacional do seu trabalho. Anexa ao Instituto, foi criada a Faculdade de Veterinária, hoje pertencente à Universidade Federal Fluminense.

O processo de ocupação ocorreu principalmente na segunda metade do séc. XX, intensificando-se nas últimas décadas, sobretudo pela ação de loteamentos (como por exemplo, o Jardim Icaraí) e pela cessão de terras do Instituto aos funcionários, para que construíssem suas moradias. Até alguns anos atrás as poucas casas do bairro eram entremeadas por inúmeros terrenos baldios.

Na área do Instituto, havia pastos (criação de cavalos por exemplo), sendo muito cobiçada, gerava conflitos, às vezes violentos, entre a Direção do Instituto (Dr. Vital Brazil) e invasores. Somente aos funcionários era permitida a construção, mas como não havia controle do poder público, as invasões foram acontecendo.

(Fonte: Niterói-Bairros – Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia de Niterói – 1991, via Cultura Niterói)

O bairro em 1950, com o Instituto Vital Brazil ao fundo.

 

 

Anúncios