“Cenas familiares”

Série “Crônicas de Icaraí”

“(..)
Icaraí não tem postos de salvamento (tem apenas guarda-vidas espalhados ao longo da areia), mas o uso de marcar encontros criou os “pontos”, que são: Regatas (em frente ao C.R. Icaraí); Cassino (defronte ao Hotel Cassino Icaraí); Cinema (diante do Cine Icaraí); Presidente Backer (em face da rua do mesmo nome); Casa de Saúde ( em frente à Casa de Saúde Icaraí) e Canto do Rio (no fim da praia). Na faixa que vai do Regatas à Presidente Backer, concentram-se os banhistas oriundos da Zona Norte e de São Gonçalo; a Casa de Saúde é o ‘ponto’ preferido pelos icaraienses genuínos e honorários – uma segregação espontânea, sem preconceitos.

Praia disciplinada, Icaraí tem locais determinados para a prática de futebol, vôlei e medicine-ball e policiais de calção estão vigilantes para que o entusiasmo esportivo não transborde os seus limites, exceção só permitida aos praticantes de frescobol.

Bem, a nova Icaraí tem calçadas de mosaicos e grandes postes com luz de mercúrio para embelezar o ‘footing’ dos domingos e os banhos noturnos. O velho trampolim, que estava caindo aos pedaços e arriscando a vida dos banhistas, foi dinamitado e sepultado pelas águas. As inovações, contudo, não afastaram os resquícios conservadores das garotas, que não se deixam fotografar fàcilmente, no que são solidários os bonitões e as mamães.”

Texto de GUALTER MATHIAS NETTO reproduzido com a grafia da época
Foto de Hélio Passos (1966/1967)
Publicado em janeiro de 1967

(Fonte: Grupo de História de Niterói, Facebook, Acesso em 9/10/2016)

(Texto apresentado na reunião semanal do Rotary Club de Niterói Icaraí de 6/12/2017)

 

 

Anúncios
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close