“Icaraí, sinhá moça moderna”

Série “Crônicas de Icaraí”

Quem diz Niterói, diz praia; e quem diz praia, diz Icaraí. Quem for à Cidade Sorriso e não vir Icaraí, ficará com uma impressão falha da cidade. Culpa não cabe a Icaraí: ela está ali mesmo, na ponta de um S, de ônibus ou “trolleybus”, a 10 minutos do Centro. Limpa, clara e hospitaleira. A onda é mansa, o mar é dócil, porque é mar de enseada, protegido pelo Morro do Morcêgo e pelo Forte Rio Branco. A areia é fina, “range” sob os pés. E a paisagem é uma pintura. Icaraí é a mais grata (e bela) tradição dos papa-goiabas. Agora de roupa nova, para receber os turistas, com a mesma simplicidade de sempre, e preparada até para os banhos de mar noturnos, pois – disso os niteroienses não abrem mão – é a praia mais bem iluminada do Brasil.

Texto de GUALTER MATHIAS NETTO
Foto de Hélio Passos
Texto publicado em janeiro de 1967 (com grafia da época)

(Fonte: Grupo de História de Niterói, Facebook, Acesso em 10/12/2017)

 

 

Anúncios