Arsène Puttemans (1873-1937): o paisagista do Campo de São Bento

Arsène (Arsenius / Arsenio) Puttemans (1873 – 1937) era um patologista de plantas Belga, formado pela Escola de Horticultura de Vilvoorde na Bélgica (École d’Horticulture de l’État). Ele chegou em 07/11/1900 no Rio de Janeiro junto com (seu irmão?) Hubert Puttemans, um engenheiro de 23 anos, com o navio Ligúria saindo de La Pallice (França). Arsène trabalhou no Brasil como professor na Escola Politécnica de São Paulo (1903-1910), onde ensinou os alunos sobre doenças de plantas agrícolas e recolhidos com a Comissão de São Paulo Geográfico e Geológico.

Foto: Os passos do saber: a Escola Agrícola Prática Luiz de Queiroz / Marly Therezinha Germano Perecin. – São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 2004. (foto p. 358)

Ele foi posteriormente nomeado o primeiro Chefe do Laboratório de Fitopatologia do Museu Nacional no Rio de Janeiro (1910). Neste cargo desaconselhou o plantío do trigo no Brasil e preferiu reservá-Io para outros países. Por isto foi severamente criticado no Rio Grande do Sul “por vêr-se um scientista, pago pelo Thesouro Nacional, entregue à defesa de interesses extranhos” ou como “phytopatha estrangeiro, em má hora ao serviço do Brasil”.

Seu herbário de 7.000 fungos phytopathogeneous, coletados principalmente na área da Mata Atlântica do estado de São Paulo, foi depositado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (RBR).

As obras realizadas no Brasil por Arsenio Puttemans são os projetos do Jardim do Ipiranga (São Paulo), da Praça da República (São Paulo), da Várzea do Braz (São Paulo), dos Jardins do Instituto Biológico (São Paulo), da Praça de São Bento (Niterói) e do Parque da ESALQ (Piracicaba).

Participou também do projeto de Aprendizado Agrícola de Barbacena (MG) e foi auxiliar do diretor dessa instituição.

Provavelmente emigrou do Brasil para a França. O “Bulletin de la Société Royal de Botanique de Belgique” em 1913 menciona seu endereço na avenue du Lycée Lakanal, Bourg-la-Reine (Seine, France).

(Fontes: http://plants.jstor.org/person/bm000057138http://www.esalq.usp.br/parque/toppage1.htm; Tese (doutorado) – Universidade de Rio de Janeiro – Faculdade de Educação 2013 de Marli de Souza Saraiva Cimino : Iluminar a terra pela inteligência: trajetória do aprendizado agrícola de Barbacena, MG (1910-1933); Penetração econômica, assistência técnica e “Braindrain”: Aspectos da emigração belga para América Latina / Eddy Stols, p. 382; via: Blog do Axel Grael)
 
 
 
 
Anúncios
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close