Imagens de Icaraí nas primeiras décadas do século XX

O arruamento de Icarahy ocorre em meados do século XIX, após 1841 com o Plano Taulois. Na sequência, o bonde de tração animal e, posteriormente, o bonde elétrico tornariam possível uma maior ocupação da área. Os banhos de mar e a fruição da paisagem tornariam Icarahy um ponto privilegiado no século XX. Logo surgiriam os primeiros palacetes e casarões de personalidades que se tornariam importantes para a história local.

Ao centro, a Praça Getúlio Vargas, ainda sem o Cinema Icaraí e o Edifício Álvares de Azevedo. À esquerda, o antigo prédio do Cassino Icarahy. Ao fundo, incrustado no morro o monumento à N.Sra. Auxiliadora.

Logo no início do século XX Icarahy já despontava como uma área privilegiada. Pouco a pouco as famílias nobres e abastadas edificariam seus palacetes e casarões à beira mar, formando um conjunto de rara harmonia entre uma arquitetura eclética, de diferentes influências, e uma natureza exuberante marcada por morros e formações rochosas debruçadas sobre o mar.

Antigas residências na praia de Icaraí, vendo-se ao longe o monumento à N.Sra. Auxiliadora.

Quando iniciou sua urbanização, a primeira geração de imóveis à beira mar contava com construções elegantes e sofisticadas que atendiam as famílias abastadas da província do Rio de Janeiro, estando entre estes elevada proporção de estrangeiros, alemães e ingleses, dentre os quais destacam-se os Coehn; Rush, Ginns, Welphy, Corrier, Sydow, Lewis, Flakemberg, Mutzembecher, Bromberg, Diederichchsen, Lester, Shellard, Morrisey e Urban.

Também se destacavam os primeiros estabelecimentos hoteleiros e esportivos como o Club de Regatas Icarahy, o Icarahy Praia Hotel e ainda a Casa de Saúde Icarahy.

Dentre as personalidades políticas o Dr. Leoni Ramos e sua família habitaram o n° 185 da praia, um belo solar eclético de gosto francês e decoração naturalista à moda art nouveau.

Residências na praia de Icaraí, vendo-se em destaque o Solar do Dr. Abreu Lima, em forma de “ferro de engomar”, Praia de Icarahy, 237.

Icarahy em 1914 despontava com um grande balneário pleno de palacetes e chácaras urbanas. Cercada por morros verdejantes como do “Cavalão”, do “Caniço”, do “Arroz” e da “Pedreira”. [Estes últimos pouco conhecidos pelos seus nomes, no entanto áreas de interesse ambiental na atual sub-região de Icaraí]

Fonte: Olhar Nictheroy, Facebook

 

Anúncios
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close