“Ode a Icaraí”

“Icaraí”, termo tupi que significa “água sagrada”, ‘y (“água”) e karai (“sagrada”).

Icaraí, que surgiu de um extenso areal, coberto por pitangueiras, cactos e vegetação rasteira. São João de Icaraí, sesmaria criada por Alvará de 1696.

Icaraí, que recebeu em 1840-41 o Plano de Arruamento, em traçado de tabuleiro de xadrez.

Icaraí, do antigo Hotel Balneário Casino Icarahy, agora Reitoria de uma das mais importantes universidades federais brasileiras, a Universidade Federal Fluminense.

Icaraí, dos cinemas antigos, dos restaurantes, bares, do Petit Paris

Icaraí, do Asilo Santa Leopoldina

Icaraí, do famoso Trampolim na praia, dos bondes que iam até o início da Fróes, ponto onde hoje está a Igreja de São Judas Tadeu, de arquitetura moderna, cujo autor foi Manoel Machado, ilustre rotariano já falecido.

Icaraí, dos ingleses do Rio Cricket e da Igreja Anglicana e dos alemães no Morro de Santa Teresa

Icaraí, dos palacetes ecléticos do século 19, dos primeiros edifícios imponentes e de histórias pitorescas.

Icaraí é também das praças, como a Getúlio Vargas, a Lusitânia e do Campo de São Bento, que de fato pertenceu aos beneditinos

Icaraí é dos nomes de rua poéticos, que hoje conhecemos com nomes de personalidades das artes e da política, da história local e nacional

Icaraí, da lenda do amor de Cauby e Jurema eternizado na Pedra da Itapuca

Icaraí, dos clubes sociais e esportivos, do Estádio, em homenagem ao corajoso escoteiro Caio Martins

Icaraí, dos poetas, artistas, músicos e jornalistas

Icaraí é passado, é lenda, é presente. E o Rotary Icaraí se diz sempre “presente”!

Brigitta Grundig Monteiro

(O texto acima foi apresentado em reunião semanal especial, por ocasião da visita oficial do casal governador de Rotary ao Rotary Niterói Icaraí, em 5 de outubro de 2016)

* Foto postal “Colombo”, s/d

 

 

Anúncios